Tudo Sobre Seguro Viagem

Seguro despesas médicas hospitalares

Vamos ver como funciona o seguro de despesas médicas hospitalares e tudo o que é coberto!

jovem médica com equipamento de proteção segurando um estetoscópio, fundo azul

As despesas médicas hospitalares no seguro viagem é a cobertura que todo mundo conhece do produto. Mas, como ela funciona? 

Neste artigo, então, veremos sobre as formas de atendimento no seguro viagem. Bem como, a forma que funciona a cobertura de despesas médicas hospitalares. Seja em viagens nacionais, internacionais, ou até mesmo de cruzeiro.

O que o seguro despesas médicas hospitalares cobre e não cobre?

Jovem de óculos fazendo sinal de positivo com a mão, fundo azul. Seguro despesas médicas hospitalares

A primeira e mais importante coisa a se saber sobre as despesas médicas hospitalares é que o seguro viagem não é um seguro saúde. Portanto, a cobertura de despesas médicas hospitalares deste produto é voltada somente para casos de urgência ou emergência. Por exemplo, consultas investigativas, eletivas ou que no geral não sejam para restabelecer o estado de saúde do segurado não são cobertas. Além disso, períodos de convalescença geralmente não são cobertos. Por exemplo, se você fez uma cirurgia e viajou logo depois, consultas referentes aos problemas gerados em relação a esta cirurgia não serão cobertos. Então, é a partir deste princípio que as condições gerais da cobertura de despesas médicas hospitalares são moldadas.  

Já os eventos cobertos são bem abrangentes. A grosso modo, qualquer coisa que aconteça com sua saúde durante o período de sua viagem é coberto pelo seguro. Teve uma dor de cabeça após um dia de andar pelos pontos turísticos? Intoxicação alimentar devido aquele prato exótico? Ou, principalmente, casos mais sérios. Por exemplo, quebrou um braço ou teve um derrame durante a viagem. 

Doenças preexistentes

Doenças preexistentes, por normativa da SUSEP (superintendência de seguros privados), devem ser cobertas na cobertura de despesas médicas hospitalares. Entretanto, ainda é válido a premissa de urgência ou emergência médica. O seguro irá cobrir casos súbitos e agudos da doença preexistente, por exemplo, diabetes, asma etc.

Também no caso de doenças preexistentes, não são cobertas consultas eletivas ou de check-up. Nem para receber nova prescrição médica. Isso é muito importante saber quando você for realizar viagens longas, por exemplo, de intercâmbio.

A sugestão aqui é pesquisar se as receitas brasileiras são aceitas em seu país de destino. Se for, explique sua situação ao seu médico e peça a receita na língua necessária. Além disso, viaje com um pouco de dinheiro a mais para poder realizar uma nova consulta no seu destino.

Coberturas obrigatórias

A SUSEP sempre atualiza suas normas, principalmente para proteger o consumidor. É importante saber que o seguro viagem internacional possui mais obrigatoriedades. A cobertura de despesas médicas hospitalares é uma delas, bem como a cobertura de doenças preexistentes. Além disso, deve ser coberto junto despesas odontológicas. Entretanto, os limites desta cobertura tendem a ser consideravelmente menores. Geralmente, cerca de 2000 de acordo com a moeda do plano (dólares ou euros). Veja mais detalhes no site da SUSEP.

E o seguro cobre despesas médicas hospitalares devido a COVID?

Depende do seguro contratado. Os seguros viagem tem como exclusão problemas causados por endemias, epidemias e pandemias. Entretanto, devido a situação, diversas das seguradoras liberaram a cobertura de casos de COVID-19. Mas essa cobertura das despesas médicas hospitalares geradas por COVID-19 você deve contratar como um adicional. Para saber certinho sobre o porquê disso, leia este nosso artigo

Formas de atendimento no seguro despesas médicas hospitalares

Foto de um grande hospital, fundo um céu azul bem claro com poucas nuvens brancas

Vimos brevemente sobre o que é e não é coberto. Agora vamos ao que pode te interessar mais: como é realizado o atendimento médico no seguro?

A primeira das formas é via reembolso:

Aqui é bem simples… Você vai ao médico, clínica ou hospital de sua escolha. Recebe o atendimento necessário. Guarda todos os documentos pertinentes ao caso (relatórios médicos, recibos etc) e pede o reembolso para a seguradora. 

Ao receber toda a documentação a seguradora tem 30 dias para analisar o pedido e pagar o reembolso – caso este atendimento esteja dentro das condições gerais da cobertura de despesas médicas hospitalares.

Quando é recomendado o reembolso?

A primeira forma é quando a central de atendimentos não pode coordenar o atendimento. Seja por causa de sua localização, ou da demanda do dia. Isto é raro, mas, infelizmente, pode acontecer.

A segunda forma é em casos de emergências (quando há risco de vida). Às vezes, organizar o atendimento médico pode demorar mais que o desejado. Se você está correndo algum risco iminente não espera, apenas vá até o hospital mais próximo. Após o atendimento, quando seu estado de saúde estiver estável, você pode acionar a central médica do seguro. Dessa forma, a central fica a par do assunto, e pode ajudar a agilizar a burocracia por detrás do reembolso.

Visita a hospital/clínica credenciada

Agora, uma das formas mais comuns de atendimento, é visita a um hospital ou clínica credenciada. Ao acionar a central de assistências devido a um problema de saúde, você explicará pelo que está passando. A partir de seu problema, o atendente verá qual a melhor forma de atendimento disponível. 

Um caso comum, ele pedirá para você ir a um hospital ou clínica próximo. Isto é muito comum em destinos bem turísticos, por exemplo, Cancún ou Orlando/Kissimmee. Ao fazer isso, a central envia uma carta de garantia ao hospital. Você vai até o local, recebe o atendimento e não paga nada.

Consulta em domicílio

Outra forma também comum em destinos turísticos é o atendimento em domicílio. Nestes casos o médico vai até seu local de estadia. É costume de os médicos levarem medicações básicas consigo para melhor te atender. Bem como a visita ao hospital, você não pagará nada.

Quando essa forma de atendimento médico é comum? Em casos de pouca complexidade e qual o segurado possa esperar. Pois, dependendo do local e demanda do médico, ele pode demorar até 2 horas para chegar ao seu hotel. 

Telemedicina

A telemedicina é a forma mais prática e rápida quando o assunto é atendimento médico. É realizado uma consulta via vídeo, geralmente através de um aplicativo próprio do fornecedor. Às vezes, o atendimento por ser realizado pro Skype. 

Mas ela funciona mesmo? Sim, funciona. A telemedicina vem se tornando mais comum no Brasil e no mundo devido à pandemia. Tanto que existe a medida provisória autorizando atendimentos via telemedicina no Brasil justamente para o paciente evitar contágio em hospitais lotados. 

Quando a telemedicina é usada? Essa é geralmente realizada em casos de baixa complexidade. Sua grande vantagem é a agilidade. Por exemplo, em vez de esperar até 2 horas para o médico chegar até seu hotel, você realiza o atendimento médico em 15 minutos. Em alguns casos, quando o problema é mais complexo do que o previsto, o próprio médico do atendimento te encaminhará para um hospital.

Cruzeiros

Quando o assunto é seguro despesas médicas hospitalares, é importante mencionar a peculiaridade dos cruzeiros. A maioria dos cruzeiros possuem um médico próprio em plantão. Sendo assim, o atendimento é realizado exclusivamente via reembolso. Entretanto, é sempre bom entrar em contato com a central. Pode ser que o médico do cruzeiro aceite a carta de garantia do seguro. Se você tiver acesso a internet, pode ser possível realizar o atendimento via telemedicina. Além disso, por exemplo, digamos que você esteja há pouco tempo de ancorar. A central pode, então, marcar um atendimento em terra para você. 

Países cujo a cobertura de despesas médicas hospitalares é obrigatória

Foto closeup de um globo terrestre, seguro despesas medicas hospitalares

Vimos que a SUSEP tem como obrigatoriedade a cobertura de despesas médicas hospitalares em viagens ao exterior. Mas antes mesmo desta obrigatoriedade, alguns países já tomavam como requisito de entrada para o turista. Novos países começam a tomar como obrigatório o seguro de despesas médicas hospitalares durante a pandemia. A cada dia, a importância desta cobertura do seguro se torna cada vez mais evidente. E mesmo sem as resoluções, o próprio viajante já encara a proteção como item obrigatório. 

O que muita gente conhece são os países do Tratado de Schengen. Estes países europeus, além de pedirem o seguro, pedem uma cobertura mínima de 30 mil euros (ou equivalente em outras moedas) para despesas médicas hospitalares.

Além destes, tem como obrigatoriedade cobertura de despesas médicas hospitalares, países como: Cuba, Equador e Venezuela. Austrália para vistos de estudos. E Estados Unidos para vistos categoria J2.

Atualmente, durante a pandemia, diversos outros países pedem a cobertura de despesas médicas hospitalares (inclusive para COVID). Por exemplo, Argentina, Chile, Costa Rica e diversos outros. Você pode checar os países que tem interesse neste site da IATA (International Air Travel Association).

No meu destino não é obrigatório seguro de despesas médicas hospitalares, tenho que contratar?

Bem, sim. Há diversos argumentos sobre a contratação deste produto. Hoje iremos te apresentar o aspecto financeiro.

Atendimento médico é algo caro. E em alguns países, por exemplo, Estados Unidos, o atendimento médico é absurdamente caro. Te deixamos aqui com um infográfico ilustrando bem o quão caro.

E em casos de viagens nacionais, lembre-se: Pode ser que o seu seguro saúde não possua cobertura nacional. Ou se tiver, mas for de sua empresa, haverá coparticipação. 

Te deixamos com a seguinte pergunta: Para que tirar do seu bolso, se você poderia ter contratado o seguro com cobertura de despesas médicas hospitalares?

O que nos leva ao custo do seguro de despesas médicas hospitalares…

Um bom seguro custa, em média, no máximo 3% do valor total de sua viagem. Para viagens nacionais ainda menos. Além disso, como é o caso do Vital Card, você pode fazer seu orçamento rapidamente no site, sem qualquer necessidade de cadastrado. Basta selecionar seu destino, data de ida e volta e sua idade. 

Conclusões…

Esperamos que este artigo possa ter sanado todas suas dúvidas sobre as despesas médicas hospitalares no seguro. Se ficou alguma dúvida, deixe um comentário. Caso estivesse na dúvida sobre a contratação deste produto para sua próxima viagem – seja de férias, trabalho ou negócios – esperamos também que este artigo tenha te ajudado a decidir pela contratação.

Lembre-se que os seguros, seja por médicas hospitalares em viagens ou qualquer outro, visa a sua proteção financeira e a mitigação dos riscos que possam ocorrer no dia a dia. 

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

Leia mais