Destinos

Viajar Barato: O último guia que você precisará ler

garota mochileira esperando o trem
garota mochileira esperando o trem

Quer viajar barato? Então senta que lá vem história (e dicas)! 

Durante esses meses de pandemia eu comecei a planejar uma viagem pra visitar um amigo na terra da rainha em 2022. Só tinha um problema:

Imagem do valor do câmbio da libra esterlina para o real dia 12 de maio de 2021
Quando uma imagem vale por mil palavras…

Ou melhor, no dia em que este texto foi escrito, eram 7-vírgula-39 problemas. Ao ver a cotação, imaginei que viajar barato era impossível. Entretanto, lembrei que um dos primeiros textos que escrevi aqui pro blog do Vital Card era justamente sobre viajar barato. Ou melhor, viagem internacional com economia. Sendo assim, revisitei o texto e resolvi aprimorá-lo para o meu proveito. Enfim, através de diversos exemplos, explicarei formas de viajar barato. 

Muito do que será descrito aqui poderá parecer apenas como pequenas dicas, mas garanto que quando se soma 1, 2 e 3 a economia se torna grande. Eu agarantcho! (Se lembra disso? Se sim, não quero fazer você se sentir velho, mas já se fazem praticamente 20 anos).

Chega de devaneios, Quero Viajar Barato!

Vamos ao que importa; viajar barato. Bem, quase ao que importa, afinal, ainda estamos na introdução deste texto. Como mencionado, muito daquele primeiro artigo sobre viajar barato ainda é válido. Neste aqui, eu explicarei melhor cada ponto e descrever como algumas coisas funcionam no turismo. Insira o clickbait aqui “o que agentes de viagem não querem que você saiba!”. Ou: “esse jovem da CIDADE X viajou de graça e os agentes o odeiam!”. Em quase toda seriedade, por exemplo, comparadores, valem a pena? Como, onde e quando escolher a passagem aérea? Achar um hotel/hostel no qual você não precise dormir com um olho aberto, ou que não precise tomar banho com traje hazmat, etc. 

Afinal, pessoalmente, sou daqueles que quer viajar barato, mas também quero ter um mínimo de conforto e segurança em minhas viagens. E nesse caso, um não exclui o outro, pagar pouco em viagem não é sinônimo de comprar perrengue. A única diferença é que para viajar barato é necessário um pouco mais de tempo e pesquisa. E, honestamente, o processo pode ser bem divertido.  

definicação da palavra perrengue "diz-se de ou cavalo que sofre de manqueira crônica"
Bah, tchê… Barbaridade.

Viajar barato começa na pesquisa. Na realidade, 50% do segredo pra viajar barato é pesquisa. O restante é comprar as coisas com antecedência e, como quase tudo na vida, um pouquinho de sorte. 

Viajar Barato: Prepare Seu Roteiro e Pesquise!

Vamos lá, preparar o roteiro é minha parte favorita. Na realidade, acho que é a parte favorita de muita gente (exceto por, obviamente, a parte da viagem). As razões pra isso, entretanto, variam de um pro outro. Alguns (como eu) falam que é a expectativa que torna preparar um roteiro tão especial. “Vou conhecer isso! Ah, e isso também. Meu Deus! Não sabia que isso ficava perto daquilo, dá pra ir ver também”. Assim, um mundo de possibilidades se abre. Infelizmente, com o intuito de viajar barato, é necessário dosar essa expectativa inicial. Pois nesses momentos, o que era pra ser uma viagem em conta sai fora do controle. Mas, se você também for desse tipo, se deixe levar! 

Sério, se deixe levar. 

Anote absolutamente tudo o que você quer ver e visitar em seu destino. Depois, vá criando suas rotas no google maps. E, por fim, anote os custos desses pontos turísticos/atrações.

Com essas coisas no papel, fica bem fácil perceber alguns detalhes. “Isso daqui é desnecessariamente caro. Ah, pra se deslocar até esse outro vou ter que cruzar a cidade, e acho que nem vai valer tanto a pena assim. Opa, esse daqui que eu não dava muita bola antes é, na realidade, bem mais interessante” etc.

Vou ilustrar esse exemplo com uma listinha de atrações que eu gostaria de conhecer em Londres.

Uma planilha do excel demonstrando valores de pontos turísticos em Londres.
Viajar barato, tem certeza?

Ok, nessa lista eu separei algumas das principais atrações. Quando vi pela primeira vez quase caí da cadeira. Inclusive, quase matei a produtividade do escritório enquanto ficávamos discutindo esses preços. Mas, em minha viagem pra lá eu não passarei muito tempo em Londres, afinal meu amigo mora próximo a Stratford-upon-Avon. De qualquer forma, para exemplificar o processo da pesquisa, usarei essas atrações de Londres. 

Pontos turísticos escolhidos

Para o meu gosto, o museu britânico é o ponto de visita principal. Felizmente, é gratuito, basta agendar horário! 

O Big Ben pode ser interessante visitar, mas, dependendo da época que eu for, talvez não consiga entrar. Portanto, um passeio pela quadra eu já posso tirar diversas fotos. 

O palácio de Westminster (parlamento britânico) pode ser interessante, mas não considerado como uma prioridade. Nem o Buckingham Palace, note que 60 libras é o valor da visita pelos jardins e alguns quartos selecionados do palácio. Atualmente, devido a pandemia, só é possível visitar os jardins e o preço cai consideravelmente. Por fim, temos a Torre de Londres e o London Eye (aquela famosa roda-gigante).

O London Eye pode ser bacana porque há diversas opções. A que eu mais me interessei é uma que, além do passeio na roda gigante, você faz um cruzeiro no rio. E a diferença de um passeio pro outro foi de apenas 5 libras. Sendo assim, algo que não estava no topo de minha lista de prioridades, se tornou muito mais interessante.

Finalmente, a Torre de Londres. Bem, esse lugar é cheio de história. Afinal, sua construção foi iniciada em 1078… Durante esse quase-milênio uma coisa ou duas aconteceram por lá. Como fã de história, esse também é um dos pontos turísticos em Londres que coloquei como prioridade. E as jóias da coroa estão por lá, quem sabe, se eu planejar bem certinho, consigo uma aposentadoria mais cedo…

Resultados

Neste exemplo, fiquei decidido em visitar o Museu Britânico (0), a Torre de Londres, (£29,90), passar na frente da casa da rainha, tirar foto do guarda de chapéu engraçado, ver a fachada do parlamento e do relógio (0). E, para finalizar, o passeio pela roda gigante e de barco (£36,50). Total £66,40, ou R$490,69.

Obviamente, quando chegar perto o dia da viagem, vou revisar as cotações e valores dos ingressos. Pode ser que modifiquem os valores ou que eu arranje um cupom de desconto. Também não é incomum encontrar atrações que dão descontos se o ingresso for comprado antes. Sendo assim, talvez, eu consiga visitar mais coisas ou pagar menos nas atrações pré-selecionadas. Ou, às vezes, vou estar bêbado e parcelo tudo no cartão e lido com isso no futuro. Mas até lá, terei muito tempo. E agora, com um entendimento maior do custo das atrações turísticas, posso economizar para visitar todas elas.

Leve o transporte em questão, isso é importante pra viajar barato!

Beleza, reduzimos os preços das atrações pela metade. Mas e pra ir de um ponto ao outro? Felizmente, só ouvi boas coisas sobre o transporte público de Londres. Vale mencionar que ao se misturar com a população local, pegando metrô, ônibus etc. Por si só já é uma baita experiência. Através disso, é possível observar pequenos detalhes da cultura local que enriquecem muito a viagem. 

Londres possui um sistema de metrô que você pode pagar pelo dia inteiro uma única tarifa. Entretanto, a maioria dos pontos turísticos da lista estão próximos um do outro. De um extremo ao outro são 9,4 quilômetros. 

Foto do mapa  caminho de londres distância de torre de Londres até o London eye.
Dá pra encarar!

Pessoalmente, não teria problema algum andar por todo o percurso. Afinal, até já consigo imaginar as coisas que posso encontrar pelo caminho. Um inusitado pub, um sebo com um ar bem místico, um delicioso café! A propósito, mesmo planejando a viagem no mapa já achei algo inusitado… Veja um pouco acima da Torre de Londres, aquele restaurante chamado “sushisamba”. O nome me chamou atenção, portanto, pesquisei e vi que este é um restaurante que mistura comida japonesa, brasileira e peruana! Enfim, aquela expectativa antes da viagem só cresce…

Mas, nesses casos, também precisamos dosar a expectativa. É preciso levar em conta a segurança do local que você irá visitar. Se você estiver viajando com criança isso será bem difícil. Tem que também levar em conta as condições climáticas… Afinal, em um inverno ferrenho, andar 900 metros pode parecer 9 quilômetros. Ah, e também será necessário considerar se é possível visitar esses pontos turísticos em um único dia. De qualquer forma, se possível, essa será uma ótima forma de conhecer seu destino. Bem como, viajar barato. 

Agora vamos falar de comida e viajar barato

Prato típico britânico peixe com batata frita, molho tártaro e limão. Viajar Barato.

Viajar barato será impossível se você comer somente restaurantes próximos aos pontos turísticos. Por exemplo, naquele mencionado sushisamba eu dei uma checada no cardápio online e não tá muito em conta não. Honestamente, em meu caso, porque eu iria pra Londres comer sushi e comida brasileira? Fish n’ chips and a pint, guv’nor! 

Em restaurantes é um dos principais locais que dá pra economizar, isto é, caso queira. É claro, se tivesse a oportunidade ($$$), adoraria jantar em um restaurante com 3 estrelas Michelin. Mas também não precisamos pensar no outro extremo. No qual só se come em fast-food, ou em lugares que após o almoço você ganha uma intoxicação alimentar.  

Quanto a isso, a melhor dica é almoçar como os locais. Conheça os restaurantes do dia-a-dia. Obviamente, em cidades como Londres não haverá muitas opções com economia próximo aos principais pontos turísticos. Entretanto, ao andar umas poucas quadras, é possível ver aquele pequeno restaurante onde diversos residentes estão indo. Quanto a janta a história já se torna um pouco mais complicada…

Os preços sobem. Por isso, se souber a língua local, aproveite pra se informar durante o dia. Nestes casos, procure conversar com pessoas que conhece que já foram ao seu destino. Elas, sem dúvida, terão algumas palavras de experiência pra te passar. Inclusive, uma dica ou outra (muitas vezes do que evitar) pra viajar barato. 

O que me lembra:

Quem tem boca vai a Roma! Não há melhor pesquisa do que conversar com pessoas que já foram ou que vivem no local e ouvir dicas valiosas (neste caso a internet será sua melhor amiga!). E não somente pra viajar barato, mas também com intuito de conhecer lugares bacanas, dicas de segurança e mais.

Vai ficar muito tempo viajando, ou descolou a casa de um amigo/parente? Tem um jeito bão pra viajar barato.

Nesses casos, um mundo de possibilidades se abre. Especialmente se você souber cozinhar. Fazer compras em mercados é uma ótima alternativa. Além de economizar muito com alimentação, você pode experimentar diversos tipos de ingredientes exóticos no seu dia a dia. 

Se o local que você ficar hospedado possui uma cozinha, aproveite. Se estiver na casa de um amigo ou um parente, ao preparar uma ou outra refeição durante sua estadia será uma forma muito bacana de agradecimento. Ainda mais se você bancar os ingredientes!  

Ao se planejar para viajar barato, leve em consideração suas roupas.

Isto vira um ponto importante se você pretende ficar fora por muito tempo. Levar muitas roupas pode causar excesso de bagagem, e isso quer dizer multas no aeroporto. “Ah, mas viagem internacional é 32 quilos”. Sim, mas tem que se lembrar das coisas que você pode comprar durante sua viagem. Pessoalmente, se eu encontrar um sebo bacana, terei um sério problema com bagagem na volta. 

Nesses casos, tente anteceder se você terá uma forma de lavar suas roupas. Tá, viajar e ter que lavar roupa não é o sonho de ninguém, mas, pode se tornar algo necessário. 

Além disso, uma dica bacana se seu destino é um país frio. Num país tropical, roupas de inverno pesadas são caras. Mas sabe de uma coisa? No seu destino elas não serão caras. Dependendo de seu orçamento e gosto, compre apenas uma ou duas peças pra aguentar uns dois dias em seu destino, rode até mesmo os brechós em sua cidade! Dessa forma, quando chegar, é possível comprar um vestuário bem mais adequado e muito mais barato do que pagaria por aqui. E não será necessário comprar em brechós! 

Viajar Barato: Voos e Acomodações

Ok, passamos por algumas dicas gerais de como viajar barato no seu destino. O que ver na pesquisa, como se planejar etc. Agora é hora do que realmente interessa. Se essa etapa for bem organizada, é onde se encontra a maior economia. 

Viajar barato: escolhendo os voos.

Voo é onde mais pesa no bolso e os preços oscilam bastante. 

Antes de mais nada, vamos estabelecer as regras básicas que, provavelmente, você já sabe.

Escolher um voo de última hora é escolher pagar caro. Geralmente, é possível conseguir a maior economia comprando as passagens 3 ou 4 meses antes da viagem. As exceções são se o dia do voo for alta-temporada. Natal ou ano novo e verão. Inverno costuma ser o período mais barato. No caso, se for viajar pro hemisfério norte, as passagens em dezembro e janeiro serão muito mais caras em conta da época festivas. Mesmo sendo o ponto alto do inverno. E, possivelmente, época de grandes festivais em seu destino. 

Dessa forma, escolher voos em baixa temporada não somente é uma ótima forma de viajar barato, mas, também, de aproveitar melhor seus destinos. Por exemplo, a possibilidade de passar menos de duas horas na fila pra entrar no Louvre é bem tentadora. 

Se puder, seja flexível nas datas

Pra viajar barato isso também é importante: ser flexível com as datas de seu voo. Às vezes é possível conseguir um preço menor com alguns dias de diferença. Ou até mesmo um mês.

Portanto, sempre que possível, pesquise as datas dos voos em diversas datas. Inclusive, a duração de sua viagem.  

O barato que sai caro…

Ferramentas como skyscanner e google viagens são incríveis. Elas são basicamente a garantia de conseguir bons preços nas passagens. Entretanto, fique atento ao selecionar suas passagens. Dependendo do destino e data, às vezes voos com escalas bizarras serão oferecidos para poupar pouco. E estou falando de uma viagem que, em um voo direto que demoraria 11 horas seria mais de 50 horas em conexão! Quer viajar pra dormir no aeroporto? Entretanto, às vezes, se estiver disposto a sacrificar um pouco de conforto é possível sim poupar bastante com essas longas escalas.

De qualquer forma, o primeiro passo pra evitar escalas desconfortáveis: crie alertas nesses sites para os voos. Mas não somente aquela seleção direita de ida e volta. Explore suas opções.

Por exemplo, moro em Curitiba e quero ir ao Reino Unido. Minhas alertas nesses sites serão:

Ida e voltaCuritiba – Londres
Ida e voltaSão Paulo – Londres
Somente um trechoCuritiba – Londres
Somente um trechoLondres – Curitiba
Somente um trechoSão Paulo – Londres
Somente um trechoLondres – São Paulo

Dessa forma se torna possível monitorar os preços e os voos com melhores escalas. O trecho Curitiba – São Paulo não me preocupa, pois, sendo um voo doméstico e curto, os preços das passagens são sempre estáveis. E ainda há a possibilidade de fazer o trecho de ônibus. 

Fique atento ao ver as passagens diretamente nas companhias aéreas. Geralmente os preços não são competitivos. Mas, quando são, pode ser que esse preço não inclua espaço no bagageiro, tendo de ser comprado a parte. 

Viajar barato: Escolhendo acomodações

Ok, vamos começar com uma verdade: Comparadores não são nossos amigos, nós somos os clientes deles. As ofertas disponíveis em diversos dos comparadores são acordos feitos com os hotéis. O mesmo vale para o seguro viagem, veremos mais sobre abaixo. Mesmo assim, eles são, de fato, ótimos lugares de pesquisa e é também possível encontrar boas promoções. 

A melhor forma de se fazer é a seguinte: Pesquise em um comparador diversos hotéis e albergues. Separe os mais atraentes e procure novamente diretamente nos sites dos hotéis, e nos mecanismos de buscas. Junto com os preços, leia as avaliações das pessoas que escolheram o determinado hotel procurando saber se preço proposto compensa ou não. 

Preste muita atenção: Ao fazer sua reserva, ligue para o hotel e confirme! E nesses casos, cartões de crédito serão seus amigos, se houver algum problema a compra pode ser cancelada rapidamente com uma ligação pro seu banco.

Airbnb

Outra ferramenta boa é o airbnb. Mas, como eles cobram taxas, os preços são mais caros do que diretamente com o proprietário. Entretanto, por motivos de segurança, evite contratar diretamente com o proprietário sem conhecê-lo. 

Considerações finais

Essa etapa de viajar barato é, honestamente, a mais chatinha de todas. Dependendo da sua necessidade, será necessário muita pesquisa e paciência. Mas, valerá a pena, pois é uma das melhores formas de economizar. 

Viajar Barato com o Seguro Viagem

Quer viajar barato? Adquira um seguro viagem. E compre-o junto com suas passagens de avião! Alguns podem dizer “mas meu objetivo de viagem é gastar pouco, adicionar o seguro viagem é gasto que eu não preciso”. 

Primeiramente, o custo de um seguro viagem é baixo. Veja, por exemplo, o preço do seguro em uma viagem de 7 dias.

custo do seguro viagem para viajar barato por 7 dias na Europa

Como estou planejando somente em 2022, esperançosamente, COVID-19 não será mais uma preocupação. 

Quer saber sobre o seguro viagem durante a pandemia? Leia este artigo seguro viagem tem cobertura na pandemia?

Quanto a outros problemas, sou novo e, felizmente, não possuo nenhuma doença pré-existente. Portanto, uma cobertura de 30 mil euros para despesas médico-hospitalares (DMH) será mais que o suficiente em meu caso. Se não for sua situação, como pode ver, a diferença da cobertura de 60 mil euros não é grande. Não tenho planos pra ficar doente nem me acidentar durante a viagem, mas, se algo fora do planejado acontecer, o seguro viagem vai me ajudar. E sabe o que não entra na categoria “viajar barato”? Ter que pagar, no mínimo, 70 libras em uma simples consulta num clínico geral – se lembra da taxa de câmbio no início do texto?

E este exemplo não se aplica somente ao Reino Unido, mas em diversos outros países. Quando o assunto é saúde, o país que tem os preços mais escandalosos é o Estados Unidos, isto já está muito bem documentado em todo canto. Além disso, o atendimento médico em países nórdicos é caro, bem como Alemanha e diversos países da Ásia, em especial Japão. 

Além da cobertura DMH

O seguro possui outras coberturas, que protegem o segurado em diversas ocasiões. Por exemplo, atraso de bagagem. Nessa cobertura, se a companhia aérea atrasar sua bagagem, você poderá comprar itens de necessidade básica e ser reembolsado pela seguradora. Por exemplo, chegou num país frio pra caramba, mas sua bagagem não. Você terá direito a comprar roupas de frio até o limite da cobertura. Bem como itens de higiene básica etc.

E a cobertura de cancelamento de viagem. Que reembolsará diversos custos com remarcação ou cancelamento que você tiver. Por causa desta cobertura é importante contratar o seguro viagem quando comprar as passagens. 

Dica das boas

Não é exatamente pra viajar barato, mas sim para evitar perrengues. Mesmo se sua viagem estiver assegurada, é uma boa ideia levar uma troca de roupa em sua bagagem de mão. Dessa forma, se a bagagem atrasar você terá ao menos uma troca de roupa. Pois, existe um período mínimo de atraso para esta cobertura ser válida. 

Ah, e também, se toma algum tipo de medicação. Leve na bagagem de mão junto com a receita. 

Viajar barato e o seguro viagem

O intuito de qualquer seguro é proteger a vida financeira dos seus segurados. Ao contratar um para sua viagem, sim, você estará gastando. Entretanto, diversos dos problemas que são facilmente cobertos pelos seguros custam mais que os mesmos. Em resumo, a proteção e tranquilidade que o seguro viagem oferece é muito superior ao seu custo.

Viajar Barato com Agência de Viagem, Tem Como?

Jovem casal consultando com o agente de viagem como viajar barato

Sim, é possível viajar barato comprando pacotes em agências de viagem. Obviamente, se for comprar na mesma agência que seu tio rico, as chances de encontrar um pacote em conta são menores. Como boa parte de viajar barato é pesquisa, o mesmo vale para as agências. 

Existem agências de viagem voltadas a diversos nichos. Aventura, turismo de massa, experiência, enoturismo, gastronomia e muito mais. Dessa forma, cabe a você encontrar a agência que mais se encaixa em seu perfil. 

Além disso, dependendo das operadoras com as quais as agências trabalham o preço varia. Bem como, volta e meia as operadoras oferecem promoções ou promovem campanhas aos agentes. Quando isso ocorre, é possível encontrar excelentes pacotes e viajar muito barato. Muitas vezes, é possível viajar barato e com estilo! 

Viajar barato com comodidade

Contratar um pacote via uma agência de viagem também traz muita comodidade. Você não precisará se preocupar com transportes, nem acomodações. A conveniência, definitivamente, é gigantesca. 

Viajando com mais pessoas?

Agências de viagem serão ótimas se você estiver viajando em grupo. Seja com os amigos ou a família. Encontrar pacotes promocionais quando mais gente viaja é bem mais fácil. Sendo assim, se torna bem fácil viajar barato com a família inteira. 

Dicas Gerais para Viajar Barato

Falamos bastante sobre o planejamento da viagem e como isso afeta viajar barato. Entretanto, ainda há algumas dicas gerais que, além de ajudarem a viajar barato, ajudarão no planejamento financeiro de sua viagem.

O cartão de crédito pode ser seu maior aliado se bem usado.

Programas de pontos e milhas são excelentes. Não somente é possível obter diversos descontos, como a segurança é muito boa. Caso tenha algum problema, estornar uma compra no cartão de crédito é bem rápido.

Seu estado possui programa de por CPF na nota fiscal?

Se tiver, aquela compra mensal no mercado pode se tornar em dinheiro pra sua próxima viagem! 

Sites como “quanto custa viajar” podem ser muito bons na hora de planejar o orçamento da viagem.

Através dele é possível ter uma boa noção se o seu destino é barato ou não. Isso é ótimo se você estiver na fase de tomada de decisão. Bem como, portais como “melhores destinos” apontam diversas promoções que acontecem. 

O cartão de crédito pode ser um inimigo se for mal usado.

Lembre-se que ao usar o cartão de crédito fora do país (ou em compras em sites estrangeiros) é aplicado o IOF. Portanto, durante a viagem é importante ter dinheiro vivo. Tanto em casos de emergência, quanto para economizar. Neste caso, evite – a todo custo – casas de câmbio em aeroporto, bem como converter seu dinheiro na última hora. Vai ser necessário viver duas vidas para encontrar uma com boas taxas de conversão. E, sempre que possível, compre aos poucos da moeda do país à qual você pretende viajar. Crie, de certa forma, uma pequena “poupança”. Obviamente, se viu que o preço da determinada moeda caiu bastante, compre mais! Os valores cambiais tem oscilado bastante, em certos momentos é provável que você tenha comprado determinada moeda por um valor mais barato que o atual.

Cuidado também com os valores da moeda!

Por exemplo, vai ao Japão e viu que um real vale 20 ienes… Mas você sabe o que 20 ienes compram lá? Talvez uma paçoca.

Conclusões para viajar barato…

Esperamos que esses exemplos de como planejar uma viagem com um bom preço (bem como as outras dicas) tenham sido úteis para suas futuras viagens. E, apesar dos valores do câmbio, é possível sim viajar barato. Basta ter um pouco de paciência e pesquisar. 

Se quiser ler algo a mais sobre viajar barato, veja este nosso primeiro artigo sobre o assunto: viagem internacional com economia.

E agora, tem alguma dica para viajar barato? Deixe um comentário aqui embaixo! 

Deixe um comentário

Your email address will not be published.

You may also like

Leia mais